Como poupar energia em casa

3 de Outubro, 2022

Casa e Familía

poupar energia

Como poupar energia em casa: eletricidade e gás

O rombo das faturas da eletricidade e do gás natural é cada vez maior. Como poupar energia em casa é o desafio colocado a todos nós.

A guerra na Europa, a situação de seca (levando à queda drástica da produção hidroelétrica) e a inflação estão a desencadear subidas de preço difíceis de suportar.

Em causa estão despesas fixas que mexem com o nosso orçamento familiar. Não há como lhes escapar, mas podemos adotar algumas atitudes para as tornar menos pesadas. 

Reunimos, por isso, boas práticas para poupar nas faturas de eletricidade e gás.

Gastar menos eletricidade: iluminação e ambiente

Merecemos conforto em casa. A norma é ter hábitos adaptados à nossa bolsa.

1. Optar por lâmpadas LED (redução do consumo na ordem dos 80%).

2. Reduzir o uso de iluminação artificial: desligar os focos que estão a mais para as necessidades reais; desligar a luz das divisões que não estão a ser utilizadas.  

3. Privilegiar a luz solar e optar por tons claros para dar luminosidade à casa.

4. No arrefecimento/aquecimento, escolher uma temperatura equilibrada. Gelo lá fora, Caraíbas em casa? Não dá.

5. Nos dias quentes, abrir janelas para o ar circular, fora das horas de mais calor. Preferir a ventoinha ao ar condicionado. 

6. No Inverno, calafetar janelas e portas. Aquecer só as divisões onde se passa mais tempo.

poupar luz

Equipamentos elétricos: ordem no consumo

Se está ligado à corrente, está a gastar energia. Mais vale cortar o mal pela… tomada.

1 . Tirar os carregadores (de telemóvel, PC, tablet, máquina de barbear, etc.) da tomada.

2. Desligar da tomada os equipamentos que estão em “stand by”, por exemplo, o micro-ondas e a televisão.

3. Optar por tomadas com interruptor, para desligar facilmente os aparelhos, e vários em simultâneo.

4. Reduzir a luminosidade do ecrã do computador e optar pelo fundo preto. Se não está a ser usado, desligar em vez de ativar o modo suspensão.

Poupar energia e não “meter água”

“Dois em um” na poupança: gastar menos eletricidade ou gás, usar menos água.

1. Reduzir a temperatura, regulando os termostatos de aparelhos como caldeira e esquentador. Ter a água demasiado quente gasta mais eletricidade/gás e só obriga a misturar água fria…

2. Tomar duches rápidos, de preferência com água tépida. Além de poupar recursos, a pele agradece! Desligar a água durante o ensaboamento.

3. Nos dias frios, não lavar o cabelo à noite: evita o uso do secador até ao último fio húmido.

4. Ter as torneiras no frio, mesmo quando fechadas. A tendência para abrir-se a torneira no quente só porque sim, sem necessidade e por pouco tempo que seja, é suficiente para acionar o esquentador ou a caldeira.

5. Lavar a loiça com água fria. Ligar a máquina de lavar a louça só quando está cheia. 

6. Na máquina de lavar a roupa, optar por programas a baixa temperatura e ecológicos.

Na cozinha, a “alquimia” da poupança

Da utilização correta dos eletrodomésticos à preparação das refeições.

1. Ter o frigorífico longe do calor e afastado da parede 10cm. A circulação do ar, atrás, arrefece a grelha (que deve ser limpa regularmente).

2. Manter o frigorífico preenchido, sem empilhar alimentos. Ocupar os espaços vazios com garrafas com água. Não acumular gelo nas paredes (até +10% de consumo).

3. Não colocar alimentos quentes no frigorífico.

4. Preparar a refeição: tirar os alimentos de uma vez do frigorífico (não o manter aberto); cortá-los antes de ligar o fogão (não ter a água a ferver à espera).

5. No fogão, adaptar o tamanho de panela e o volume de água à quantidade de alimentos. Usar o disco/bico que melhor se adapta à dimensão da base da panela.

6. Colocar a tampa na panela, para uma fervura mais rápida. Depois reduzir a temperatura.

7. Evitar abrir o forno durante a sua utilização (ter luz interior e temporizador é o ideal): perde-se cerca de 25% do calor. Verificar o estado de isolamento da porta.

8. Forno e fogão, desligar minutos antes do fim da cozedura.

Gastar para poupar

Há mudanças que custam dinheiro, mas poupam energia.

Antes de avançar, convém ponderar: Tenho capacidade financeira para suportar o investimento? A compra adapta-se à minha casa e realidade? Sim e sim? Então vamos lá.

Escolher eletrodomésticos eficientes. Atenção à etiqueta energética. O ideal é optar pela classe A (mais eficiente); gastam menos energia e são mais amigos do ambiente. a partir da classe D, começa a soar o alarme quanto a gasto energético. Da classe G, é fugir!

Uma sugestão: comprar eletrodomésticos com pequenos defeitos estéticos, que não colocam em causa a sua eficiência e o seu bom funcionamento.

Colocar painéis solares, se existirem as condições desejáveis, a começar pela boa exposição solar. Perceber se os valores de consumo justificam o investimento. Esta solução poderá ser mais viável em conjunto com os seus vizinhos ou condomínio.

Tornar a casa mais eficiente, optando por janelas e portas com bom isolamento térmico. Reduz substancialmente a necessidade de aquecimento no Inverno e a entrada de calor no Verão.

O contrato de fornecimento é o melhor?

Atenção às condições e preços propostos pelos fornecedores de eletricidade e gás.

Para ajudar a escolher a melhor oferta, há vários simuladores de preço online. Indicamos dois:

Simulador da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos

Simulador do portal Poupa Energia

Lembrete: o cliente pode pôr fim ao contrato quando quiser, sem ser penalizado.

Para finalizar, face ao exposto, convém sublinhar que o consumo consciente e a utilização correta dos equipamentos domésticos ajudam a reduzir o valor da fatura da luz e do gás. Além disso, beneficiam o ambiente. Ou seja, vale a pena tentar…

Outros artigos

Carregar carro elétrico no condomínio

Carregar carro elétrico no condomínio

Para carregar o carro elétrico na garagem do condomínio, é preciso ter a instalação adequada e observar várias regras. Saiba tudo aqui.